Faça a diferença e multiplique!

12 livros que influenciaram o mundo

Publicações acadêmicas revolucionaram diversos campos do conhecimento e até hoje são referência para pesquisadores, estudiosos e entusiastas dos temas tratados

Por Danilo Moreira

Que o livro é um importante meio para desenvolver o potencial humano, compartilhar conhecimento e inovar o pensamento, já sabemos.

Mas existem obras cujo impacto foi tão grande na História da Humanidade que, mesmo séculos e até milênios depois, continuam influenciando gerações em diversas áreas como Política, Ciências, Comportamento, Cultura, entre outras.

Se você quisesse elencar 12 livros que influenciaram a Humanidade, quais escolheria?

Com o enorme volume da produção de conhecimento, responder a essa pergunta é bastante difícil, mas a Gênio Criador Editora vai tentar. Listamos, assim, 12 livros acadêmicos que influenciaram a Humanidade e se tornaram referência.

Albert EinsteinO físico alemão Albert Einstein

Convém dizer que a nossa lista não é um ranking e nem pretende ser uma relação definitiva, mas uma menção honrosa de títulos que costumam ser citados em publicações relevantes por veículos como o The Guardian e BBC.

Confira a seguir a seleção escolhida:

1. Os Analectos, de Confúcio

Também chamada de “Diálogos de Confúcio”, a obra é uma série de livros com doutrinas do confucionismo, sistema filosófico chinês criado por Kung-Fu-Tzu (551-479 a.C.), autor conhecido no Ocidente como Confúcio.

O filósofo foi um político importante no Estado de Lu (atual província de Shantung) por volta de 500 a.C. Por conta de conflitos internos, ele se exilou e passou o resto de seus dias compartilhando seus pensamentos em vários reinos que visitou.

O livro aborda diversos temas como lealdade familiar, virtude moral, além de hierarquia política e harmonia social.

Como Confúcio não deixou registros escritos, o livro é fruto do trabalho de seus discípulos para reunir os ensinamentos do filósofo.

Escrito há mais de 2.400 anos, a obra alicerça a estrutura cultural da China. Os conceitos de Confúcio foram adotados por diversos imperadores, inclusive líderes do Partido Comunista, e inspira pessoas no mundo inteiro.

2. A República, de Platão

Os gregos contribuíram com diversas obras que até hoje influenciam o mundo. O livro de Platão (428-347 a.C.), que era discípulo de Sócrates (469-399 a.C.), é uma das obras de Filosofia mais conhecidas de todos os tempos.

A obra aborda temas como política, educação, imortalidade, entre outros, tendo como fio condutor a abordagem da justiça.

Em outras palavras, o filósofo grego expõe sua concepção de Estado com a qual a ideia de justiça seja aplicável.

É também nesse livro que é relatado o célebre “Mito da Caverna”, que é uma metáfora sobre a vida de Sócrates e o papel da Filosofia.

Escrita por volta de 380 a.C., até hoje o livro é referência inclusive para sistemas governamentais em todo o mundo.

3. Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, de Isaac Newton

Publicado pela primeira vez em 1687, o livro é considerado a primeira obra de física teórica moderna.

Também conhecido como “Principia”, é composto por três volumes e chegou a ter mais duas edições publicadas pelo autor em 1713 e 1726.

Na obra, Newton (1643-1727), que era físico, matemático, astrônomo e teólogo de origem inglesa, apresenta conceitos para avaliar o movimento dos copos, além da Lei da Gravitação Universal.

Ele também traz os três princípios básicos da Mecânica: inércia, dinâmica e ação e reação, como formas que podem ajudar a explicar a causa de diversos fenômenos naturais.

Dessa forma, Newton trouxe um modelo de comunicação científica que se tornou referência na área e o consagrou como um dos nomes essenciais para a Revolução da Ciência, tendo seu legado revisitado e estudado até hoje.

4. Crítica da Razão Pura, de Immanuel Kant

Principal obra do filósofo prussiano, foi lançada em 1781, num tempo em que a Filosofia dividia-se nos teóricos defensores dos pensamentos nas quais a fonte do conhecimento era a razão (racionalistas) e ou a experiência (empiristas).

Por meio do livro, Kant (1724-1804) mostrou que o conhecimento é tanto empírico quanto racional, gerando um debate inovador na Filosofia e criando bases importantes para a Teoria do Conhecimento enquanto disciplina dessa Ciência.

Basicamente, a ideia do filósofo foi fundamentar o conhecimento humano e fixar os seus limites.

Crítica da Razão Pura

Capa da primeira publicação, de 1781

O livro até hoje é referência para estudiosos e pesquisadores, especialmente aqueles que se dedicam à epistemologia, ramo da Filosofia focado no estudo da natureza, fontes e limites do conhecimento humano.

O livro faz parte da famigerada trilogia do Racionalismo Crítica (ou Criticismo) que reúne os conceitos e abordagens mais famosas do filósofo, com “A Crítica da Razão Prática” (1788) e a “Crítica do Juízo” (1790).

5. A Riqueza das Nações, de Adam Smith

Adam Smith (1723-1790) foi um economista e filósofo do iluminismo escocês, sendo conhecido como o “Pai da Economia Moderna”.

Sua obra mais famosa foi lançada pela primeira vez em 1776 (tendo adaptações posteriores pelo próprio autor) e é considerada de relevância histórica por ser o marco na fundamentação teórica sobre a Economia de Mercado.

Dividido em cinco livros, a obra trata questões como o acúmulo de riqueza, a divisão do trabalho, a produtividade, o consumidor, a organização da vida econômica, entre outros assuntos.

Seus conceitos até hoje influenciam pensadores, economistas, políticos, empreendedores e profissionais de outras áreas, tornando o livro frequentemente lembrado para estudos e abordagens em segmentos como Economia e Política.

6. A Origem das Espécies, de Charles Darwin

No século XIX, o naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882) realizou um extenso estudo por meio de observações ao redor do mundo a bordo do HMS Beagle.

O resultado desse trabalho foi publicado nesse livro em 1859, que se tornou sucesso na área acadêmica a tal ponto que os exemplares na época se esgotaram rapidamente.

Na obra, Darwin apresenta a Teoria da Evolução das Espécies e da Seleção Natural, conceitos que revolucionaram a Ciência e abriram caminho para novos estudos na área de Biologia.

Nem tudo foram flores: cristãos ortodoxos consideraram o livro uma “heresia” por trazer uma nova abordagem sobre o surgimento das espécies e confrontar com o criacionismo.

De lá para cá, novos trabalhos, pesquisas e entendimentos modificaram a Teoria Evolucionista, mas as ideias de Darwin estão até hoje presentes no campo da Biologia, tendo “A Origem das Espécies” como obra referencial.

7. O Capital, de Karl Marx

Com mais de 2.500 páginas no total, teve seu primeiro volume lançado pelo filósofo alemão em 1867. Os outros dois volumes foram concluídos postumamente pelo amigo Friedrich Engels, com base em anotações deixadas pelo autor.

Basicamente, Marx (1818-1883) apresenta um aprofundado estudo histórico e socioeconômico sobre a trajetória e o futuro do capitalismo, com conceitos sobre o conflito de classes, a vulnerabilidade do livre mercado capitalista, entre outros temas relacionados.

O livro chegou a dar base para um novo campo de estudo: o materialismo histórico, focado em analisar a sociedade que se configurou especialmente após a Revolução Industrial.

Mas, por focar na consciência de classe do proletariado e sua exploração pelo sistema capitalista, provavelmente o seu maior impacto foi político, influenciando desde sindicatos a chefes de Estado, o que o tornou objeto de polêmicas e até censura.

O fato é que a obra segue sendo revisitada por estudiosos, simpatizantes e críticos até hoje.

8. A Interpretação dos Sonhos, de Sigmund Freud

Lançado em 1900 com uma tiragem de 600 exemplares, levou oito anos para esgotar as vendas. Atualmente, é um dos livros mais influentes do mundo contemporâneo.

De modo geral, Freud (1856-1939), que é considerado “O Pai da Psicanálise”, faz uma abordagem inovadora dos processos inconscientes, pré-conscientes e conscientes, por meio da análise de sonhos.

Com quase 800 páginas e dividido em sete capítulos, o livro analisa quase 50 sonhos próprios e diversos de outras pessoas. Basicamente, a ideia é considerar que o sonho representa desejos reprimidos, inclusive oriundos da infância.

A obra gerou impacto nos estudos sobre a mente e inspirou até movimentos culturais como o surrealismo, sendo até hoje uma obra de leitura obrigatória para diversos estudiosos sobre a mente e o comportamento humano.

9. O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir

Publicado em 1949, consagrou a filósofa francesa Simone de Beauvoir (1908-1986) na Filosofia Mundial.

Dividida em dois volumes, a obra é um estudo minucioso sobre a condição da mulher na sociedade ao longo dos séculos.

A autora também analisa e refuta tradicionais estudos e conceitos sobre a mulher, feitos por grandes pensadores de áreas do conhecimento como Filosofia, Biologia, Sociologia, Psicanálise, História, entre outros.

Simone de BeauvoirA filósofa francesa Simone de Beauvoir

Na primeira parte, a autora discorre e reflete sobre os fatos e mitos da condição feminina na trajetória da Humanidade.

Já na segunda, Simone analisa a condição feminina em várias dimensões como a sexual, psicológica e política.

Além de inaugurar um novo modelo de pensamento sobre a mulher na sociedade, o livro foi um marco do feminismo e segue inspirando movimentos pelo mundo até hoje.

10. A Teoria da Relatividade Especial e Geral, de Albert Einstein

Em 1905, com cerca de 25 anos de idade, Einstein (1879-1955) publicou alguns artigos no Anuário de Física Alemão, na qual abordava, dentre eles, sobre a Teoria da Relatividade Especial ou Restrita, que repercutiu na época.

Basicamente, Einstein criou uma ruptura ao afirmar que espaço e tempo não eram absolutos e nem independentes, conforme acreditava-se desde o século XVII, por meio das teorias de Galileu Galilei e Newton.

Posteriormente, o físico alemão expandiu os estudos acerca dessa teoria, lançando, em 1916, “Teoria da Relatividade Especial e Geral”, inicialmente como artigo e posteriormente como livro.

Dessa forma, o trabalho de Einstein gerou uma revolução que foi além da Academia e o tornou um dos nomes mais influentes do século XX.

11. Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire

O educador e filósofo brasileiro Paulo Freire (1921-1997) é reconhecido e premiado mundialmente pelo seu legado teórico e prático em prol da Educação.

Publicado em 1968 durante exílio do autor no Chile, fugindo da ditadura militar no Brasil, a “Pedagogia do Oprimido” discorre sobre a importância da democratização da Educação e sua importância como ferramenta de transformação social.

Freire também analisa a relação entre o opressor e o oprimido, a alienação e os impactos do analfabetismo na população brasileira, defendendo uma Pedagogia libertadora.

O livro chegou a ser proibido no Brasil até 1974. Atualmente, é considerado referência nos campos da Educação, ainda que tanto o livro quanto o autor sejam alvo de polêmicas com motivações políticas.

Esperamos que as obras tenham despertado interesse e gere curiosidade criativa para você saber mais.
Importante também dizer que a História não para e, com certeza, surgirão outras obras que irão impactar a Humanidade e revolucionar diversas áreas do conhecimento.

Isso mostra que os livros continuam sendo de extrema importância para o desenvolvimento da Humanidade, ampliação do pensamento e modificação de conceitos que influenciam a vida de todos.

12. As veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano

Na obra, lançada em 1970, Galeano (1940-2015) faz um registro da trajetória de dependência da América Latina desde os tempos coloniais, além de abordar temas como escravidão.

O jornalista e escritor uruguaio destaca a exploração econômica e dominação política do continente, que começou com povos europeus e segue com norte-americanos, bem como as suas consequências.

O livro ganhou relevância pela abordagem e chegou a ser proibido no Uruguai, Brasil, na Argentina e no Chile durante o período em que esses países estiveram sob ditaduras militares.

Até hoje, quando o assunto é a História da América Latina com foco em problemas sociais, a publicação é um dos títulos mais lembrados como referência.

Esperamos que as obras tenham despertado interesse e gere curiosidade criativa para você saber mais.
Importante também dizer que a História não para e, com certeza, surgirão outras obras que irão impactar a Humanidade e revolucionar diversas áreas do conhecimento.

Isso mostra que os livros continuam sendo de extrema importância para o desenvolvimento da Humanidade, ampliação do pensamento e modificação de conceitos que influenciam a vida de todos.

Gostou dessa matéria? Então divulgue-a nas suas mídias sociais (você pode clicar nos ícones abaixo, no lado direito), afinal, é sempre importante compartilhar conhecimento!

Com informações de: The Guardian, Mundo de LivrosHypescience, Estante Virtual (Blog)
Fotos: Pixabay/Divulgação

Seja um Gênio você também!

Busca