Gênio Criador

20 dicas para tirar boas fotos com seu celular

Fique por Dentro

 Voltar 20 dicas para tirar boas fotos com seu celular

 

Saiba mais sobre como fazer ótimas fotos com o smartphone, desde os modelos mais simples aos avançados

Por Danilo Moreira

Nunca, na história da humanidade, foi tão fácil tirar uma fotografia. Basta ter um smartphone em mãos e abre-se a possibilidade de produzir uma centena de fotos em qualquer momento, além do indivíduo poder exercer a criatividade durante passeios ou mesmo sozinho em seu quarto. A câmera é atualmente um dos recursos mais relevantes para o consumidor na hora de comprar um celular. Os fabricantes sabem disso e têm buscado oferecer modelos com capacidades cada vez melhores – de acordo com a faixa de preço e o modelo. Mas ter um smartphone avançado nem sempre é garantia de fotos com qualidade semelhante às câmeras profissionais, assim como ter um celular intermediário ou de entrada sejam sinônimos de fotos inviáveis. Igualmente importante é conhecer algumas técnicas e elementos que são determinantes na hora de produzir uma foto e isso vale para qualquer tipo de aparelho. Selecionamos 20 dicas para que você possa tirar ótimas fotos com o seu celular por meio de medidas simples. Veja a seguir:

1. Megapixels não são tudo

Em propagandas de smartphones, é muito comum destacarem os megapixels da câmera como um diferencial importante. Quanto maior a quantidade de megapixels, melhor seria a câmera, certo? ERRADO! Os pixels ajudam a ampliar a resolução da foto e os detalhes exibidos, mas a qualidade de uma imagem depende de outros elementos como o tipo de sensor, a velocidade do obturador, e abertura do diafragma para a entrada de luz. As lentes também são fatores que influenciam na qualidade da foto. Smartphones mais avançados possuem combinações de lentes, compostas geralmente por vidro, que produzem melhores resultados.  

2. Evite o zoom

O zoom é um recurso que aproxima a imagem, mas na prática, apenas recorta um pedaço da foto completa, o que normalmente diminui a qualidade da imagem e gera fotos borradas. Alguns modelos, como o iPhone 7, possuem duas câmeras e trabalham melhor com o recurso de aumento da lente, mas se o seu aparelho não dispõe de recursos avançados, o recomendável é que você se aproxime do objeto a ser fotografado. Outra dica é tirar a foto em uma distância normal e depois recortá-la com a ajuda de um programa de edição.

3. Limpe a lente

Assim como a tela do celular, a lente também está exposta a agentes externos como poeira, suor ou mesmo marcas de dedos. A sujeira pode interferir nos sensores do dispositivo e prejudicar o foco e a qualidade das fotos. Certifique-se de limpar a peça cuidadosamente com um lenço de papel ou tecido suave (como o algodão), especialmente antes de fotografar.

4. Observe a iluminação

A iluminação é um fator essencial para que uma boa foto seja produzida, por isso, preste atenção nas condições de luz do local. Fotos em ambientes mal iluminados podem gerar granulações na imagem (chuviscos), especialmente em aparelhos intermediários e de entrada, que possuem sensores de qualidade inferior aos modelos premium.

2017-5-24 16 CCSP

Se necessário, utilize uma fonte de luz que não apareça em cena, como refletores, ou se posicione em um canto onde a iluminação reflita melhor no objeto ou na pessoa que será capturada. Lembre-se de que o processo de fotografia é, basicamente, capturar a luz refletida em um objeto que chega até o sensor da câmera.

5. Atenção com a contraluz

Quem já não tirou uma foto em um local onde as pessoas saíram muito escurecidas e maior claridade ao fundo? Isso acontece devido à contraluz, situação em que a fonte de luz está atrás dos fotografados, o que leva o sensor do smartphone a ajustar o foco para evitar que a claridade entre em excesso. Se perceber que a fotografia ficou muito escura por conta da contraluz, inverta a posição das pessoas ou objeto a ser fotografado para o lado em que há maior iluminação. Caso não seja possível evitar a contraluz, utilize o flash.

6. Ajuste a exposição

Muitos celulares atualmente possuem um recurso que ajusta a exposição para que a foto saia nítida e com qualidade. Basta clicar em um ponto da tela que o dispositivo já se encarrega se controlar a exposição e iluminar o local que você escolheu focar. Alguns smartphones possibilitam o ajuste manual da exposição (mais indicado para quem possui noções intermediárias ou avançadas de fotografia) e até fornecem “modelos prontos” com indicações para dias nublados ou ensolarados, por exemplo. Teste vários níveis de exposição até achar o mais adequado para o que você deseja.

7. Acerte o ISO quando necessário

ISO é um padrão que o nível de sensibilidade da câmera para a luz no momento do clique. O padrão normal de ISO para fotos costuma ser o 100, mas quanto menor o número, menor será a sensibilidade do sensor para a luz. Como os locais fechados costumam ter menos luz do que os abertos, por exemplo, a câmera se ajusta para um tempo de exposição maior e ISO mais alto para que a foto saia “mais adequada”. Muitas câmeras costumam contar com o ajuste automático do ISO para produzir fotos de acordo com o ambiente, mas boa parte também oferece configurações para serem ajustadas manualmente. Para ambientes escuros, o ISO deve ser aumentado, mas tome cuidado para não elevá-lo demais, pois a imagem pode sair granulada.

IMG 20170719 241515509

Alguns smartphones podem se confundir e ativar recursos para a realização de fotos noturnas em locais inadequados. O resultado dessas adaptações é que, dependendo da câmera, as fotos podem resultar em uma qualidade ruim. Por isso o recomendável e que, se possível, se aproxime do local melhor iluminado, especialmente se a luz for natural. A simples aproximação da janela, aplicando também a dica da contraluz que fornecemos anteriormente, já possibilita ao seu aparelho mais condições para produzir uma foto de melhor qualidade.

8. Claridade não é tudo

A claridade também pode ser inadequada para uma fotografia se for em excesso. Em um dia ensolarado, por exemplo, se há muita luz em todos os cantos, a câmera tem mais dificuldade em criar contraste entre as partes da foto, ou gerar extremos como brancos mais estourados (por exemplo, o rosto muito claro) e sombras exageradas. Muitas câmeras já possuem um controle próprio para essas situações, mas nem sempre pode funcionar no momento certo.

9. Iluminação de forma indireta

Quem já não se deparou com a situação de tirar uma foto com flash e jogar a luz na cara das pessoas, que aparecem com olhos semiabertos? Utilize um modo de iluminação indireta, que não seja lançado diretamente no rosto das pessoas. Além de provocar alterações na expressão e até movimento da pessoa, pode criar uma sombra atrás da foto ou ressaltar marcas de expressão. Caso não disponha de um refletor ou outro objeto para iluminar a foto, peça para outra pessoa ligar uma lanterna, que pode ser apontada para uma parede branca enquanto o fotografado fica de frente para a parede. A lanterna também pode produzir efeitos interessantes com a sombra, como nas fotos produzidas com a intenção de saírem assustadoras, por exemplo.

10. Cuidado com a tremedeira

Ajustar configurações do celular não é tudo. Quantas vezes já tiramos fotos que saíram tremidas por conta das mãos? Isso normalmente acontece porque a pessoa que irá fotografar não apoia o corpo adequadamente ou não sente firmeza ao manejar o celular naquele momento (geralmente com uma das mãos). Encontre uma posição confortável e que permita a estabilidade do corpo e braços. Não existe uma posição padrão que transmita mais segurança, pois depende muito das condições físicas de quem está tirando a foto, por isso, encontre a opção mais adequada para você. Mesmo quem utiliza o famigerado pau de selfie também precisa procurar um modo seguro para se apoiar. Alguns smartphones mais avançados possuem maior estabilização e que amenizam os impactos das mãos que tremem no momento de clicar a foto.

11. Aplique a regra dos três

Para fazer o enquadramento de uma foto, um recurso comum é a chamada regra dos três (ou dos terços). Segundo o conceito, nossos olhos costumam ser atraídos por imagens divididas em três partes. Imagine duas linhas horizontais e duas verticais cortando a tela em tamanhos iguais.

phone-802125 1920

Desta forma, você pode posicionar o objeto que deseja focar no encontro de duas dessas guias. Algumas câmeras e aplicativos oferecem essa opção no momento de fazer a foto e também na edição, para ajustar a posição da imagem.

12. Como funciona o HDR?

O High Dynamic Range (alto alcance dinâmico, em português), ou simplesmente HDR, é uma função presente em boa parte dos celulares. Quando está ativado, o aparelho produz três fotos com níveis diferentes de exposição e combina as áreas com melhor detalhe em cada uma, criando uma foto otimizada. O recurso é indicado para fotografias à contraluz, em situações de pouca ou excessiva iluminação, como uma paisagem urbana em dia de sol forte, em que há muita luz e sombra ao mesmo tempo. Você pode configurar essa opção de forma manual ou automaticamente, deixando que o aparelho decida quando aplicar esse recurso. O HDR não é recomendado para fotos que contenham movimento (como crianças correndo em um parque ou avenidas movimentadas, por exemplo).

13. Explore o foco

Muitas câmeras de smartphones possibilitam que um simples clique na tela estabeleça qual ponto da imagem deseja ter mais foco. Dependendo da câmera, esse recurso é mais ágil ou não, e por isso que é importante que você experimente e faça testes para conhecer bem as potencialidades da sua câmera. Algumas podem demorar mais para conseguir focar uma imagem dependendo do grau de proximidade. Não é porque o seu celular não tenha um foco ágil que você não possa produzir fotos nítidas, basta conhecer a funcionalidade do mecanismo. Ao selecionar um objeto próximo, o foco ficará nele e o fundo será borrado. Já ao concentrar o foco em outro ponto fora do objeto, é ele quem ficará sem nitidez. Muitas fotos criativas são produzidas dessa forma.

14. Fotos em preto e branco

Comum em fotos antigas, as composições em preto e branco (P/B) ainda são muito utilizadas por fotógrafos profissionais. Esses elementos adicionam mais intensidade, impacto e sentimento nas fotografias. Não é à toa que muitos trabalhos de fotojornalismo e propaganda contam com este recurso, especialmente ao retratar problemas sociais ou situações de afeto. Existem smartphones que disponibilizam este recurso na hora de fazer a foto, mas você também pode usar filtros para inserir essa composição, contanto que salve a imagem colorida original e posteriormente importe uma imagem editada em P/B. Além dos aspectos estéticos já mencionados, o P/B pode atuar como elemento corretor de imperfeições de cores e ruídos.

15. Considere o cenário

Você já passou pela situação de produzir uma foto maravilhosa, mas ter que refazê-la ou cortá-la por conta de algo indesejado que acabou aparecendo ao fundo? Infelizmente isso é muito comum e por isso é importante escolher um cenário interessante para produzir boas fotos com o celular. A dica anterior de trabalhar com o foco no objeto com o fundo ofuscado pode ser uma ótima saída para esses momentos, especialmente em ambientes com muitas pessoas.

16. Explore perspectivas

Se você observou algo que julgou ser digno de um registro fotográfico, que tal experimentar ângulos e perspectivas diferentes para fotografá-lo? Não tenha medo de deitar no chão ou de fazer posições incomuns para capturar um ângulo interessante, só tenha bastante atenção com os limites que poderá ameaçar a sua segurança– não economize esforços para evitar acidentes!

2016-9-17 7

Um mesmo objeto, por mais “insignificante” que pareça, pode ganhar um incrível significado dependendo da perspectiva que é registrado. O mesmo vale para fotos panorâmicas.

17. Estude as configurações avançadas

Diversas câmeras possuem um menu de configurações avançadas, que permite o ajuste do balanço de brancos, tonalidade, modo noturno, entre outros elementos. Faça testes e veja quais resultados você consegue. Com experimentações, é possível até mesmo corrigir algumas falhas ou deficiências do aplicativo de fotos do smartphone.

18. Pesquise aplicativos de câmeras

Os smartphones funcionam com aplicativos de fábrica, mas existem outros apps que turbinam a sua câmera, como o Hipstamatic, Retrica e Câmera 360. São ferramentas que oferecem diversas possibilidades de edição e aplicação de filtros. Para saber mais opções, clique aqui.

19. Armazenamento

É muito desagradável perder a oportunidade de fazer uma grande foto pela falta de espaço no celular. Verifique com antecedência se há espaço disponível para armazenamento no seu aparelho, seja na memória interna ou em um cartão micro SD, caso seu smartphone aceite. Analise também se você não possui muitas fotos antigas, duplicadas e que podem ser excluídas para liberar memória.

20. Faça backup

Infelizmente, muitas pessoas se esquecem de fazer backup de suas imagens e perdem fotos preciosas por conta de problemas no dispositivo ou mesmo por conta de furto ou roubo. Além de salvar em outros dispositivos como pen drives, notebooks e PCs, você também pode armazená-los em nuvens como o Google Drive (para celulares Android), iCloud (no caso de iPhones), OneDrive (Windows Phone), ou outros serviços como o Dropbox. Como diz o antigo ditado, “é melhor prevenir do que remediar”.

Independentemente do modelo do seu aparelho, use sua curiosidade e explore os recursos que ele possui. Brinque com sua câmera (tanto a frontal quanto a traseira) e faça diversos testes. Registre, recrie a realidade e desfrute de seu potencial criativo por meio da arte da Fotografia!

Com informações de: Olhar Digital, TecMundo, Viaje mais pagando menos, TechTudo



 Voltar